Carlos Trilha

Born in Brazil, 1970. Professional musician since 84. Played with greatest brazilian artists like Marisa Monte and Legião Urbana. Music producer, arranger, programmer, sound designer and audio engineer since 1990. Developing v-synths and applications for live performances.

Carlos Trilha

Email: info [ at ] carlostrilha.com.br
Nascido em Florianópolis, músico profissional desde 1984, Carlos Trilha sempre interessou-se pelo universo físico e eletrônico envolvido na música e na geração dos sons, tornando-se tecladista, sintesista e programador desde os 10 anos de idade. Em 1989 radicou-se no Rio de Janeiro onde, devido ao
seu raro conhecimento em síntese e programação, tornou-se um dos tecladistas mais respeitados, atuando com grandes artistas como Renato Russo, Marisa Monte, Lobão entre muitos outros.
Atualmente trabalhando como produtor musical, arranjador, programador, tecladista, sintesista e engenheiro de som, Trilha dedica-se a produção musical de “Somos tão Jovens” filme sobre a vida de Renato Russo, a recuperação de uma dueto perdido de Marisa Monte e Renato Russo e realização do projeto “Retrotech”, sua obra autoral que remete aos pilares históricos da música eletrônica numa releitura sonora, impactante e orgânica através dos sintetizadores analógicos.


Carlos Trilha sempre se interessou por música e pelos mistérios físicos do seu universo. Seu primeiro contato com as teclas foi aos 3 anos de idade com um raro órgão de madeira fabricado pela Hering nos anos 60.

Aos 9 anos iniciou seus estudos de piano erudito. Sua facilidade em aprender e seu interesse por sons diferentes logo redirecionaram seus movimentos em direção a musica pop e a música eletrônica (ainda em seus primórdios). Nunca esqueceu a primeira vez em que ouviu a palavra ” sintetizador ” , em 1981.

Finalmente, ele descobriu que instrumento misterioso era aquele que gerava aqueles sons que tanto lhe interessava ao ouvir seus discos preferidos do Kraftwerk, Vangelis e Jean Michel Jarre.

Aos 13 anos, foi convidado pra participar de sua primeira banda de rock (Metalmorphose-1983) como pianista, mas se apresentou poucas vezes. Em 1985, então com 15 anos, ele encontrou finalmente um sintetizador profissional (Roland RS-202, bem diferente do Casio VL-1 que ganhara aos 10 anos, brinquedo que lhe ensinou os princípios da síntese).

Desde então tornou-se músico profissional participando de muitos trabalhos diferentes em sua região. Trilha, neste mesmo ano, apresentou a primeira vez seu trabalho de composições próprias de música eletrônica no encerramento de um festival na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) o que chamou muita atenção do meio musical e da mídia local. Desde então, os convites para participar de shows e se integrar a bandas não pararam mais, dando a ele uma experiência rara para sua tão pouca idade.

Durante dois anos, Trilha se aventurou em viagens pelo interior do estado com diversas bandas até ser convidado para integrar o Tubarão em 1987, então a maior banda de rock de Santa Catarina. Trilha se afirmou como tecladista de Rock naquele momento, mas nunca deixou de se apresentar com seu trabalho intrumental eletrônico. Fez apresentações no Teatro do CIC (Centro Integrado de Cultura em Florianópolis) completamente lotado em 1987 e 1988.

Em 1989, Trilha foi convidado para se mudar para o Rio de Janeiro e integrar a banda de Léo Jaime. Seu conhecimento raro em síntese e áudio logo foi percebido pelo meio musical carioca. O jovem músico, como acontecia em Santa Catarina, começou a ser muito solicitado para participar de gravações e shows de grandes artistas como Kid Abelha e Leoni.

Em 1992 foi convidado para apoiar a Legião Urbana. Sua afinidade musical com o grupo despertou o interesse de Renato Russo que convidou-o para arranjar e produzir seus trabalhos solo (The Stonewall Celebration Concert e Equiliíbrio Distante). A grande vendagem dos CDs solo do cantor chamou a atenção para o então jovem produtor.

Sua experiência com os samplers e sintetizadores acabaram transformando Trilha em um dos brasileiros pioneiros do audio digital; pois, ao se deparar com a primeira estação ProTools do Brasil, no estúdio Discover no Rio de Janeiro, Trilha já tinha conhecimento sobre o assunto o que acabou transformando-o em uma espécie de sócio/colaborador do estúdio. Ele entrou no Discover em 1993 para trabalhar com Renato Russo, e saiu somente em 1997 quando se mudou para o seu próprio estúdio no Jardim Botânico. Durante esses anos Trilha realizou centenas de programações, arranjos, produções e participacões com praticamente todo o cenário musical carioca.

Carlos Trilha acabou tornando-se um músico, produtor, arranjador e programador muito conhecido e respeitado no meio artístico. Nos últimos anos trabalhou junto com o cantor Lobão ( parceria que rendeu 2 albuns contundentes para o cantor ( 2001, Uma odisséia no Universo Paralelo -2001 e Canções dentro da Noite Escura – 2005).

Produziu também nesse período 5 projetos da banda Catedral (2003-2005) e outras bandas de rock como Autoramas, Cabaret, Libra, Penélope e Tijuquera (SC). O elaborado e belo CD ” A Febre dos Sonhos ” de sua própria banda, o ” Tantra “ e finalizou seu primeiro projeto solo ” Retrotech ” – 2007, são seus mais recentes trabalhos.

Nesses movimentados anos, ele ainda esteve presente na tour ” Memórias Crônicas e Declarações de Amor ” de Marisa Monte (2000/2001) como tecladista/ programador/arranjador registrada em DVD; e também na tour ” Estampado ” de Ana Carolina (2003/2004) registrada em DVD.

 

Loading